COMPARTILHAR

Sporting venceu todos os desempates por grandes penalidades desde 2009, enquanto o FC Porto saiu sempre derrotado desde 2010.

O Sporting voltou a ‘sentar-se’ no trono da Rainha do futebol português. Este sábado, no Jamor, os leões venceram o FC Porto nos penáltis, por 5-4, depois de uma igualdade no tempo regulamentar (1-1) e no prolongamento (2-2), e conquistaram a 17.ª Taça de Portugal do seu palmarés.

Para a história desta edição da prova fica mais um desempate por grandes penalidades, desfecho que tem sido bastante favorável ao conjunto de Alvalade na última década.

Neste período, os verdes e brancos decidiram jogos desta forma em sete ocasiões e… ganharam sempre. Curiosamente, a maior ‘vítima’ tem sido o FC Porto, que ‘caiu’ da marca dos 11 metros por quatro vezes – as restantes foram o Sp. Braga (2) e o V. Setúbal.

De resto, só esta temporada, a equipa de Marcel Keizer já ‘roubou’ dois troféus ao rival da Invicta: a Taça da Liga, levantada graças a um triunfo na ‘lotaria’ por 3-1, e agora a Taça de Portugal, com uma vitória por 5-4.

Em sentido contrário, esta forma de decidir vencedores tem sido um verdadeiro ‘pesadelo’ para os portistas, que já não conseguem superiorizar-se neste capítulo desde 2010, altura em que bateram o Belenenses – oitavos-de-final da prova Rainha. Daí para cá, os agora comandados por Sérgio Conceição saíram derrotados em sete oportunidades: quatro diante do Sporting e uma frente a Chaves, Sp. Braga e Benfica.

Superioridade vs eficácia

O Sporting até entrou melhor no relvado do Estádio Nacional, tendo mais bola, mas foi o FC Porto a criar a primeira situação, por Otávio, aos 6 minutos, e a ver um golo ser-lhe anulado, aos 24′, por fora-de-jogo de Marega.

Os leões ainda voltaram a ameaçar mas Soares, já dentro dos últimos cinco minutos do primeiro tempo, motivou a primeira ‘explosão’ de alegria nas bancadas, ao inaugurar o marcador. A resposta, porém, não tardou e, já em cima do intervalo, Bruno Fernandes tentou a sorte: a bola desviou em Danilo e ‘traiu’ Vaná.

O encontro ia assim para intervalo de forma eletrizante, num dos maiores espetáculos que uma final da Taça de Portugal já viveu nos últimos anos. No segundo tempo, praticamente, só deu FC Porto. Soares acertou no poste (47′) e falhou o alvo pouco depois (60), assumindo-se como o maior perigo para os verdes e brancos.

Esta superioridade clara dos dragões apenas pecava na finalização e o castigo acabou por chegar já no prolongamento, aos 101′ altura em que Bas Dost, que tinha entrado no decorrer da etapa complementar, provou uma vez mais o seu ‘faro’ de golo e lançou a equipa orientada por Marcel Keizer pela primeira vez em vantagem na partida.

Contudo, o único minuto de compensação serviu de ‘balde de água fria’ para as hostes sportinguistas. Após um lance em que a defesa leonina não conseguiu afastar o perigo, Felipe surgiu ao segundo poste e atirou o jogo para as grandes penalidades. Aí, como se sabe, o Sporting foi mais feliz, viu Renan parar o remate de Fernando Andrade e Luiz Phellype bater Vaná, e ganhou a ‘lotaria’… uma vez mais. A ‘miséria’ do FC Porto neste aspeto… continua.

Mais: com este triunfo, o emblema de Alvalade ‘descolou’ do rival da Invicta no que a conquistas de Taça de Portugal diz respeito – 17 dos leões contra 16 dos azuis e brancos.

Estatísticas:

Sporting  VS FC Porto
11 Remates 26
1 Cantos 13
24 Faltas cometidas 19
6 Cartões amarelos 4
0 Cartões vermelhos 0
44% Posse de bola 56%

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui